Eu sei que hoje já é dia três e o mês não começou ontem, mas como foi anteontem, acho que ainda é em tempo de expressar minha abobação diante de um único ponto: Caramba, já é metade do ano, outra vez? Que isso? Quando eu me der conta vou avistar pela janela do meu quarto, renas cruzando o céu?

Socorro.

Faz mais ou menos 15 minutos que terminei de assistir “Os homens que não amavam as mulheres” e sobre esse filme só uma coisa a falar: Assista! E como manda a tradição, antes de assisti-lo coloquei a panela de pipoca no fogo.

Pera aí, Lis. Pára tudo. Você não está de dieta? Se tornando uma pessoa super saudável? Você não lançou, sei lá, um auto-desafio? Como assim pipoca?

Aff, gente. Dá um tempo, vocês parecem a minha mãe.

: )

Aliás, mães, no plural. Não lembro ao certo o dia, mas na semana passada eu e a Tháubatis havíamos combinado de reassistir Solaris, e como manda a tradição preparamos pipoca para acompanhar o filme. Por algum motivo desconhecido, comecei a listar para a minha amiga os benefícios da pipoca e desmentir certas lendas. A mesma ficou boquiaberta e a primeira coisa que disse foi: “Minha mãe precisa saber disso!! Ela vive brigando comigo por causa da pipoca.” Pensei comigo: Mães.

E por essa razão estou escrevendo esse post, como defensora pública não oficial da pipoca. Que por si nada faz além de trazer alegria e sorrisos para nossas vidas, enquanto alguns vivem de caluniá-la injustamente.

Vocês sabiam que quando os pequenos grãos de milho em altas temperaturas se vestem de noiva, ou se preferirem, caem prontinhos na sua bandeja como adoráveis floquinhos macios e brancos, todos os seus nutrientes permanecem intactos? E eles não são poucos já que o grão de milho é um dos grãos mais ricos…

Uma única porção de pipoca tem cinco vezes mais fibras, se comparada com a mesma quantidade de alface, por exemplo. Já no formato saboroso de pipoca, nela se encontra uma substância conhecida como amido resistente. Esse curioso carboidrato passa pelo aparelho digestivo praticamente intacto, ou seja, não provoca altas repentinas nos níveis glicêmicos (Atenção diabéticos, a pipoca é sua amiga!).

Ela também é rica em grande quantidade de certas substâncias antioxidantes chamadas polifenóis, que reduzem os riscos de doenças cardíacas e câncer. Aposto que você nunca imaginou que até mesmo na fila do cinema poderia ser tão  fácil conseguir um balde de antioxidantes, fibras, ômega 3, ômega 4, potássio, magnésio, fósforo, vitaminas (B e complexo A), cálcio e… Vou para por aqui antes que alguém fique inspirado demais e comece a vender pipoca em vidrinhos lacrados na farmácia mais próxima.

Então porque será que tantas mães pessoas fazem da pipoca um vilão? Simples.

A pipoca leva a culpa e paga os pecados pelos acompanhantes da ‘refeição’ como o excesso de óleo no preparo, excesso de sal, a desnecessária manteiga e refrigerantes. (Nem me olhem porque já falei que não bebo coca-cola. Só chá de pêssego gelado.) Mas isso é opção de cada um, né?

Bom depois de escrever esse post, finalmente eu consegui clarear a mente da minha mãe para o julgamento cruel que ela estava fazendo. O único problema é… Não consigo mais comer minha pipoca sozinha. u.u E aposto que quem leu esse post está com a maior vontade de comer pipoca nesse exato momento. Ou estou errada? Hihi!